A EXPANSÃO DO EU

Um tema muito abordado pela filosofia espiritualista é a expansão do eu. Fala-se em ampliar a consciência através de exercícios como meditação, oração e outros recursos. A questão é que pouco se fala sobre os motivos de expandir o eu ou os pressupostos que sustentam esta iniciativa ou desejo.

Falar em ampliar a consciência é supor que exista uma meta para onde esta consciência deva dirigir-se. Para onde a consciência deveria se dirigir? E por quê? Apesar de ser um tema complexo, temos de admitir que se a consciência deve ser ampliada, é por que existe uma finalidade para a existência. Esta finalidade ou motivo seria a justificativa existencial, não apenas para a existência de níveis mais elaborados do próprio eu, mas em um motivo para que ele deva ser expandido.

Muitos realizam meditação transcendental a fim de penetrarem o eu profundo, mas não encontram um sentido maior para suas existências. Outros recorem a substâncias alucinógenas com os mesmos motivos e retornam de suas experiências apenas com uma nova história para contar. Isto ocorre não por falhas de tais métodos, mas pelo simples fato do eu não participar conscientemente do significado de tais experiências. É como uma pessoa pouco sensível à arte depois de visitar um grande museu. A visita nada contribui para a sua cultura ou senso estético.

É indispensável da parte daquele que busca ampliar o eu um compromisso com a verdade. Nossa sociedade está imersa em um pensamento materialista onde a verdade não é vista como uma realidade a ser descoberta, mas como uma opinião e nada mais. O Espiritismo concebe a verdade como uma força espiritual por sustentar-se na realidade de um universo estruturado em beleza, justiça e finalidade.

Se o indivíduo percebe a verdade como simples opinião e não como uma realidade independente de gosto ou cultura, inevitavelmente, transformará qualquer experiência de natureza transcendental em uma simples afirmação de si mesmo, com os preconceitos e prejuízos que todos temos. É necessário estar aberto ao que a realidade nos revela para não reduzirmos a vida aos nossos pontos de vista. Encontrar a verdade é ser capaz de abandonar a si mesmo a fim de se tornar algo melhor.

Os espíritos superiores orientaram Allan Kardec a fugir de todo o espírito de sistema. Esta orientação tinha como objetivo não reduzir o novo ao velho. Não supor que o desconhecido deva sempre contribuir para confirmar nossos pontos de vista. A verdade deve ser aceita como é, não engessada a pontos de vista preconcebidos, a sistematizações que nos pareçam infalíveis. Se um fato novo contradiz nossas idéias, mudemos nossas idéias, não os fatos. Esta atitude em relação ao conhecimento, deve também ser exercida em relação a nós mesmos.

Quando ouvimos alguém dizer que a verdade não existe ou que toda verdade é relativa, ficamos a pensar o que conseguirá tal pessoa com esta perpectiva e o que a anima a comprometer-se com qualquer verdade, relativa ou não. Estar aberto a mudar de opinião é muito diferente de achar que toda opinião deva ser mudada, mesmo porque até por acaso alguém poderia encontrar uma verdade absoluta. Do ponto de vista lógico, uma verdade não tem necessidade de estar sempre mudando ou ter a absoluta necessidade de ser apenas uma opinião pessoal.

Se alguém busca expandir sua consciência, primeiramente deve saber qual a finalidade de sua existência e quais os critérios que usará para interpretar ou aproveitar de forma correta essa busca e os seus achados. Se o Cristo nos ensinou que conheceríamos a verdade e a verdade nos libertária, é porque a verdade tem a objetividade suficiente para ser uma força transformadora e jamais conseguiria tal coisa se fosse apenas uma opinião ou um conceito relativo.

Ao ter como objetivo a ampliação de conhecimentos, percepções e sentimentos, é indispensável que saibamos qual a nossa finalidade no universo, o que representamos para o próximo e para nós mesmos. O que somos e o que devemos ser. O que devemos querer de nós mesmos? Não existe caminho algum para aquele que não sabe para onde deve ir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *