SEREI EU O QUE SOU?

SEREI EU O QUE SOU?

Quero que me digas só uma coisa:
Se a alvorada é assim da cor dos teus olhos
E se ficas calada por guardares o mistério
Do azul que dorme em tua alma.
Quero te saber assim tão calma
Se a escuridão do mundo já
A tens repartido?
Conheces as manhãs de cor dourada ou
As tardes mudas? Podes me devolver o amor
Que te darei ou teu amor é apenas da alvorada?
Ficas assim silenciosa como os pássaros em seus ninhos,
Vigilantes como os amantes, inconstantes como os ventos do Sul
Que retornem amenos para dar seu amor aos corações serenos.
Sabes do meu amor ao menos? Sabes da inconstância em que vivo
E chamo a mim mesmo e fico sem saber que te amo?

És vento sul, onda dourada, cabes no azul que dorme por entre as flores,
Sei, tu és toda de amores e sou o poeta desse amor esquecido.
Não brigues comigo porque o que tu sentes eu muito mais sinto.
E se a tristeza invade a tua alma, mas triste eu fico.
Que queres que faça? Que ames mais a mim ou a ti ame? Que seremos de nós se te afastares de mim? Que serás de ti se eu não souber que te amo?
Já não sei se sou eu, se és tu, se somos nós que amamos. Já nem sei mais quem nós somos.
E esse amor é tudo e mais nada. E no correr dos anos é o amor que de nós ri e faz planos, esse amor que amamos.

Médium: João Senna.
Espírito: Pablo Neruda.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *